Buscar
  • We Posicionamento Digital

Vacina contra Gripe – Relato sobre “o pior dia de minha vida” – minha bebê com Influenza


Olá mamães, hoje passo por aqui para deixar um alerta muitíssimo importante, amanhã dia 04 de maio começará a Campanha de Vacinação contra a Gripe que irá até o dia 22 de maio.

Em Julho de 2012 meus gêmeos eram bebês de 1 ano e 6 meses ainda tão pequeninos e frágeis e passei pelo pior momento da minha vida quando ouvi de uma médica de pronto socorro: “mãe, sua filha está em estado muito grave…. se você demorasse mais duas horas para chegar com ela, não teríamos mais o que fazer” imaginem como meu chão sumiu nesse momento, foi desesperador, principalmente porque já havia ido ao PS com ela nos últimos 2 dias, pelo menos duas vezes em cada um desses dias e ela só piorava e me mandavam de volta pra casa com medicamentos para gripe comum e por uma triste coincidência a nossa pediatra que acompanha minha dupla estava de férias e fora do país exatamente nesse período.

Era angustiante ver aquele meu serzinho tão indefeso e pequeno com tanta dificuldade para respirar, febre alta que não cessava, sem comer, vomitando, caidinha e sem reagir aos remédios, era claro que não se tratava de uma simples gripe.

Imediatamente foi para emergência e no colo da médica totalmente entregue foi deitada na maca e já começaram a colocar os acessos para medicamentos nos bracinhos e tirar sangue para exames e minha pequena não reagiu à todas aquelas picadinhas que estava levando eu entrei em pânico e vi a gravidade da situação e junto com meu marido, só pedíamos pra Deus cuidar de nossa princesa.

Graças à Deus os resultados dos exames eram um pouco melhores do que a médica imaginava pelo estado clínico e não foi necessário a internação na UTI, no entanto ficou internada sem poder ter contato com mais ninguém além de mim e de meu marido por alguns dias com um tratamento muito rigoroso com medicação para Influenza A (H1N1).

E claro que o tão conhecido “sentimento de culpa” que nós experimentamos o tempo todo na maternidade tomou conta de mim, pois eu sabia que deveria ter vacinado meus bebês, mas acabei deixando um pouco pra depois, pois o meu filho estava resfriadinho e me perdi um pouco no tempo e a vacina ficou sem ser dada à tempo.

Vê-la em casa dias depois junto com seu irmãozinho foi minha maior alegria naqueles dias e por isso que deixo aqui o alerta para que todos sejam vacinados e ninguém passe por esse terror.

O público alvo do Ministério da Saúde é:

  • crianças de seis meses a menores de cinco anos;

  • pessoas com 60 anos ou mais;

  • trabalhadores da saúde;

  • povos indígenas; gestantes;

  • puérperas (mulheres até 45 dias após o parto);

  • população privada de liberdade;

  • os funcionários do sistema prisional

No entanto nos hospitais e clínicas particulares já estão começando a receber as doses das vacinas para serem aplicadas à todas outras pessoas que não se enquadram no público alvo do SUS.

Fiquem atentos e não percam os prazos.

CLAUDIA PRIETO NEISA


0 visualização
Siga a gente
  • Instagram - White Circle
  • Facebook - White Circle